fbpx

Realizar o gerenciamento de um estoque de sangue não é tarefa fácil. É preciso garantir que todos os tipos sanguíneos estarão disponíveis e, quando necessário, promover campanhas de doação para promover o abastecimento.

A Fundação Pró-Sangue é considerada um dos cinco maiores estoques de sangue da América Latina, sendo um centro de referência da Organização Mundial da Saúde (OMS). Por esse motivo, é responsável por transferir bolsas de sangue, inclusive para bancos de sangue e agências transfusionais

Mas para que esses locais recebam esse sangue, é necessário ter um bom gerenciamento. Quer saber como? Continue a leitura do artigo abaixo!

O que é um estoque de sangue?

Um estoque de sangue é responsável por armazenar de forma correta as doações, separando pelo tipo sanguíneo. Com o cenário atual em que o país se encontra, os estoques estão ficando desabastecidos. Estima-se que seja necessário 160 doações por dia para que seja regularizado. Veja como está o estoque de sangue:

  • O+: status de alerta;
  • A+ :estoque estável;
  • AB+ :estoque estável;
  • B+ :estoque estável;
  • O- :estado crítico;
  • A- :status de alerta
  • AB- : estoque estável;
  • B- : status de alerta.

Os dados foram divulgados pela Fundação Pró -Sangue no dia 29 de setembro, e o alerta mais grave é para o tipo O-, considerado universal. Esse tipo sanguíneo não pode faltar nos estoques pois, quando existe uma urgência, ele é utilizado em qualquer paciente.

Como gerenciar um estoque de sangue?

Como dito, gerenciar um estoque de sangue não é uma tarefa fácil. Algumas dicas precisam ser seguidas à risca. Para ajudar nesse processo, separamos  as principais práticas para tornar o processo na sua clínica mais eficiente:

1 – Controle de entrada e saída

É fundamental que as entradas e saídas sejam registradas sem exceções. Inclua todas as movimentações para que, no final, o controle do estoque não seja comprometido. O ideal é que seja utilizado um software para garantir que os dados estejam sempre atualizados.

2 – Utilização de um software para bancos de sangue

Um software para bancos de sangue permite controle de todo o ciclo do sangue. Devido a tecnologia, proporciona acesso remoto pela internet, fazendo o gerenciamento de toda equipe operacional, técnica e administrativa.

No controle de estoque, atua diretamente com relatórios para que a real situação seja analisada, facilitando o gerenciamento das bolsas de sangue vencidas ou prestes a vencer e que ainda estão no hemocentro.

3 – Organize-se para ter estoques mínimos de cada tipo sanguíneo

Um bom gerenciamento está totalmente ligado aos registros. Com um bom controle, é possível evitar que o estoque fique defasado. Assim, todos os pacientes poderão receber atendimento sem que haja imprevistos.

4 – Siga o padrão ISBT 128

O padrão ISBT 128, International Standard for Blood and Transplant (Padrão Internacional para Sangue e Transplante), auxilia na identificação, etiquetagem e transferência dos Produtos Médicos de Origem Humana (MPHO).

Ele permite que os recursos doados sejam utilizados com facilidade e enviados a outros hospitais sempre que necessário.

5 – Realize o armazenamento de acordo com a data de validade

Assim que o material é doado e coletado para armazenagem no banco de sangue, ele deve ser organizado e estocado de acordo com a data de validade.

Quando um paciente realiza a doação de sangue, os componentes conhecidos como hemocomponentes são separados e destinados a usos específicos. Desse modo, cada um tem sua própria duração  e deve ser utilizado antes de “estragar”. Portanto, um bom gerenciamento precisa ser realizado.

Tipos sanguíneos para ter no seu estoque de sangue

Os tipos sanguíneos são classificados de acordo com a presença ou ausência de anticorpos ou proteínas presentes no plasma sanguíneo. 

O sangue pode ser classificado em 4 tipos, e não podem faltar em nenhum estoque. São eles:

Sangue A

Considerado um dos tipos mais comuns, pois contém anticorpos contra o tipo B. Quem tem o tipo A, só pode receber de pessoas que tenham A ou O.

Sangue B

Um dos tipos mais raros, e seus anticorpos são contra o tipo A. Nesse caso, só pode receber sangue dos tipos B ou O.

Sangue AB

Também conhecido como um dos mais raros, não apresenta anticorpos contra A ou B, ou seja, pode receber sangue de todos os tipos.

Sangue O

O tipo O é conhecido como um doador universal, além de ser um dos mais comuns. Porém, só pode receber sangue de pessoas tipo O, para evitar a aglutinação das hemácias.

Os tipos sanguíneos considerados essenciais, são estabelecidos de acordo com o sistema ABO. Esse sistema é responsável por classificar os grupos em tipos A, B, AB e O.

Agora que você já aprendeu como gerenciar um estoque de sangue de forma eficaz, é hora de começar a planejar. Realize campanhas periódicas de doação de sangue para manter seu estoque sempre abastecido.

O RealBlood pode te ajudar nisso, nosso software trabalha com módulos e funções necessárias para garantir uma ótima  gestão e controle do seu estoque. Aprenda mais sobre ele!

ATENDIMENTO
4000-1691
WHATSAPP
(48) 99641-5711
E-MAIL
comercial@tdsa.com.br
CENTRAL DE VENDAS