fbpx

O ato de doar sangue faz diferença na vida de muitas pessoas. O procedimento é totalmente seguro, não causa dor, e pode proporcionar centenas de benefícios. 

A falta de informação faz com que uma parte da população deixe de lado a possibilidade de se tornar um doador. Esse problema se agrava em períodos mais frios, quando o volume de doações cai drasticamente nos bancos de sangue, chegando ao estado crítico.

Existe risco de contaminação durante a doação de sangue? Doar afina o sangue? Doei uma vez, tenho que doar sempre? As dúvidas são muitas e, com elas, surgem vários mitos. Neste artigo, iremos esclarecer o que é verdade e mentira sobre a doação de sangue. Boa leitura!

Mitos sobre doação de sangue

1 – Doar sangue causa fraqueza

Logo após a doação, o sangue volta ao normal rapidamente. Ou seja, o ato de doar sangue não causa fraqueza.

Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a quantidade de sangue coletado é baseada no peso e altura do doador. Além disso, o organismo repõe todo o volume nas primeiras 24 horas após a doação.

2 – Quem doa uma vez, precisa doar sempre

Não existe nenhum estudo ou recomendação que afirme isso. Como dito, o organismo repõe o sangue, ou seja, não tem  problema em doar sangue uma única vez em toda a vida.

3 – Doar sangue engrossa ou afina o sangue

De acordo com o Ministério da Saúde, é mentira! Realizar uma doação não engrossa e muito menos afina o sangue.

4 – O doador precisa estar em jejum na hora da doação

Em hipótese alguma o doador pode estar em jejum na hora da doação! Ao contrário, é recomendado estar bem alimentado. Então, se você for doar sangue, faça antes uma refeição leve e com pouca gordura. 

5 – Existe a possibilidade de doar sangue uma vez por mês

Um intervalo mínimo deve ser respeitado entre as doações. No caso de homens pelo menos 60 dias. Para mulheres, no mínimo 90 dias é o recomendável. Essa diferença de tempo é baseada na reposição dos estoques de ferro no organismo, o que é um processo mais lento para as mulheres.

Verdades sobre doação de sangue

1 – A primeira doação precisa ser feita antes dos 60 anos

A Fundação Pró-Sangue, responsável pelo Hemocentro e hemocomponentes no estado de São Paulo, deixa claro que o limite de idade para a primeira doação é até 60 anos. Pessoas com 61 anos ou mais, e que nunca doaram, são consideradas inaptas. 

2 – Lactantes não podem doar sangue

Segundo o Ministério da Saúde, não é indicado que mães em período de amamentação doem sangue, a menos que o parto tenha ocorrido há mais de 1 ano. Assim como as grávidas não podem doar, pois pode gerar problemas para a gestante e principalmente ao bebê.

3 – Quem recebeu transfusão de sangue pode se tornar um doador

Após a transfusão, o paciente que deseja doar sangue precisa esperar um intervalo de um ano para realizar a coleta. Isso porque receptores de transfusões com menos de 12  meses podem estar em um período em que as doenças não são detectadas em exames (a chamada “janela imunológica”), o que o torna o paciente impossibilitado de doar sangue.

4 – Não existe risco de contaminação durante a doação

Todos os materiais utilizados são descartáveis e de uso individual. Alguns cuidados precisam ser tomados durante a doação. Por esse motivo, a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), realiza o teste NAT, responsável por detectar HIV, Hepatite B e Hepatite C.

O procedimento indica se a pessoa tem alguma contaminação ou tenha passado por uma a curto prazo.

5 – Fumantes são aceitos como doadores de sangue

Mesmo com todos os males causados à saúde, o cigarro não impede a doação. É indicado que o doador fique duas horas antes do procedimento sem fumar, e que também não fume logo após a doação, para evitar tontura ou desmaios.

Lembre-se: você pode se tornar um doador se tiver entre 16 e 69 anos, no mínimo 50kg e apresentar um bom estado de saúde. Antes de agendar sua doação, é preciso:

  • estar bem alimentado;
  • evitar alimentos gordurosos, pelo menos 3 horas antes do procedimento;
  • dormir no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas;
  • respeitar o intervalo mínimo entre uma doação e outra.

Uma vez apto a doar sangue, a coleta será tranquila, com uma demora de aproximadamente 40 minutos. Após, a bolsa de sangue é dividida em componentes sanguíneos, hemácias, plaquetas, plasma e crioprecipitado, e, em seguida, liberado para exame para ser utilizado.

Se você é dono de clínica e quer realizar um bom gerenciamento de estoque e campanhas de doação de sangue, aposte no RealBlood, um sistema que permite controle total do ciclo do sangue, fazendo todo o gerenciamento de rotinas operacionais, técnicas e administrativas.

Agora, é hora de deixar os mitos de lado e realizar uma doação de sangue. Ah, siga-nos no instagram e fique por dentro de tudo que postamos por lá!

ATENDIMENTO
4000-1691
WHATSAPP
(48) 99641-5711
E-MAIL
[email protected]
CENTRAL DE VENDAS