fbpx
Central de Vendas 4000-1691 comercial@tdsa.com.br
Chamar no WhatsApp

Todo gestor de clínica ou médico independente precisa conhecer a Tabela CBHPM para poder definir os seus honorários médicos adequadamente. Afinal, esse documento é divulgado pela Associação Médica Brasileira (AMB) para ajudar a padronizar o valor do atendimento médico pelo país. Isso é especialmente verdadeiro para quem atende com planos de saúde. Afinal, essa padronização ajuda muito na comunicação com as muitas operadoras.

Antigamente, cada operadora de plano de saúde usava a sua própria tabela de valores. Além dos valores não refletirem adequadamente a prática médica, eles tornavam a organização e gestão financeira das clínicas algo muito complicado. Afinal, um mesmo procedimento poderia custar X se o paciente tivesse um determinado plano de saúde ou Y se tivesse outro.

Se você ainda não sabe o que é e como usar a Tabela CBHPM, é hora de aprender. Ela tornará a gestão da sua clínica muito mais fácil de ser feita. Siga a leitura para aprender!

O que é a Tabela CBHPM?

A Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) é uma tabela criada pela Associação Médica Brasileira (AMB) e sociedades de especialidades médicas. Seu objetivo é estabelecer um padrão mínimo e ético de remuneração para procedimentos médicos. Inicialmente criada por conta, a CBHPM acabou sendo adotada por todas as operadoras de planos de saúde e reconhecida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Em 2003, uma resolução do Conselho Federal de Medicina reconheceu a CBHPM como oficial dentro do Sistema de Saúde Suplementar.

Essa tabela é formada pela AMB com apoio de entidades médicas nacionais, bem como da FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que fornece dados econômicos para basear o desenvolvimento dos valores da tabela.

Basicamente, a CBHPM funciona de uma forma específica: ela determina uma fórmula para a cobrança dos honorários e estabelece uma divisão de 14 portes e, cada um deles, com três subdivisões. Com o valor de cada porte determinado na tabela, basta aplicar os montantes na fórmula e chegar ao valor mínimo cobrado pelo atendimento médico.

Como calcular honorários médicos com a tabela?

Como mencionado, a CBHPM não estabelece valores monetários para determinados procedimentos. O que ela faz é identificar cada ação médica com uma classificação, para dar a referência para calcular o honorário daquele atendimento. Inicialmente, a hierarquização dos procedimentos médicos é feita em 14 portes, que são agrupados em 3 divisões: A, B e C.

Essa divisão é feita com base em parâmetros como o grau de treinamento necessário para ser realizado, a complexidade técnica, o tempo de execução e a atenção requerida pelo profissional. Assim, cada procedimento recebe uma “nota”, vamos dizer assim. Cada nota tem um determinado valor, que deve então ser jogado na fórmula fornecida pela CBHPM, junto com o valor da UCO (Unidade de Custo Operacional). Essa UCO é única para todos os procedimentos e incorpora toda a depreciação de equipamentos, manutenção, imóvel, aluguel, folha de pagamento e outras despesas relacionadas ao custo operacional do médico. Ou seja, o porte da tabela cobre a remuneração do médico, enquanto a UCO cobre os custos operacionais.

Com isso explicado, vejamos a fórmula da Tabela CBHPM:

  • (Valor do porte * valor do subporte) + (Custo Operacional * UCO) = Preço.

Todos os anos, os valores são atualizados para poder refletir a variação da inflação com base no INPC (que é divulgado mensalmente pelo IBGE). Atualmente, o valor da UCO adotado a partir de outubro de 2020 é de R$21,89. A tabela pode ser adquirida no site oficial da AMB.

Exemplo prático

Para poder entender melhor como precificar os procedimentos da sua clínica de acordo com a CBHPM, vejamos um exemplo prático de como ela funciona.

Suponha que a sua clínica tenha especialidade ginecológica, com profissionais dedicados ao estudo e pesquisa da endometriose. Portanto, é um estabelecimento que recebe muitas mulheres que sofrem dessa doença.

Um dos processos mais comuns envolvendo a doença é o tratamento cirúrgico via laparoscopia, para remover os focos de endometriose. De acordo com a tabela, esse procedimento recebe classificação 9B. Já o custo operacional da cirurgia é de R$ 44,61. 

Um detalhe importante a ser mencionado é que alguns procedimentos podem receber portes fraccionados. Por exemplo, a aplicação de glicose é porte 0,01 de 1A. Ou seja: 1% para o valor determinado para a classificação 1%. Nesse caso, o 0,01 é o porte, com o 1A sendo o subporte. No nosso exemplo, que só temos a classificação 9B, entende-se o porte como 1 (ou seja, aplica-se 1 vez o subporte) e o subporte como 9B.

De acordo com a CBHPM, o subporte 9B tem valor R$ 2.959,99. Jogando esse número e os outros na tabela, temos o preço mínimo do procedimento:

  • Preço = (1 * R$ 2.959,99) + (44,610 * R$ 21,89) 
  • Preço = R$ 2.959,99 + R$ 976,51;
  • Preço = R$ 3.936,50.

Prontinho! Viu como foi simples entender como a Tabela CBHPM funciona? Com esse conhecimento, ficará muito mais fácil lidar com a parte financeira da sua clínica. Mas por que parar aqui? Você sabia que um software de gestão é essencial para poder lidar com a parte financeira e organizacional de uma clínica médica? Pois é! O programa correto pode poupar tempo, diminuir erros e, inclusive, aumentar o lucro da clínica.

Não acredita? Então, leia agora mesmo nosso artigo que mostra como softwares de gestão podem aumentar a lucratividade da sua clínica médica!

Rua Sete de Setembro, 01 - 2º Andar - Kobrasol, São José/SC
CEP. 88.102-030

Produtos

Contato

Contato

comercial@tdsa.com.br

Capitais e regiões metropolitanas

4000-1691

Demais localidades

(48) 3241-6991
(48) 3771-0100

ATENDIMENTO
4000-1691
WHATSAPP
(48) 99641-5711
E-MAIL
comercial@tdsa.com.br
CENTRAL DE VENDAS