fbpx
Central de Vendas 4000-1691 comercial@tdsa.com.br
Chamar no WhatsApp

Saber como montar um banco de sangue não é fácil. Isso porque esse tipo de ação não é permitida para qualquer pessoa. É necessário reunir um conjunto de pré-requisitos específicos para conseguir a autorização para montar um estabelecimento do tipo. É por isso que a maior parte dos bancos de sangue do Brasil são públicos ou gerenciados como parte anexa a grandes hospitais ou redes de saúde privadas.

A necessidade de doações de sangue por parte do público, no entanto, é sempre crescente e hospitais estão em constante demanda por doações para realizar procedimentos e salvar vidas. Mesmo em alguns casos, o sangue é necessário para fazer exames e testes que podem ser usados para curar doenças ou desenvolver novos tratamentos para condições específicas. Os bancos de sangue ajudam muito nisso também.

Se o seu hospital quer dar o próximo passo, precisa saber como montar um banco de sangue. Quer aprender? Então, siga a leitura do artigo abaixo!

Como saber se o seu hospital precisa de um banco de sangue?

Nem todo hospital precisa ter um banco de sangue anexo. É claro que todos os estabelecimentos de saúde podem precisar realizar algum procedimento que necessite de transfusão de sangue, mas isso não acontece com frequência e nem em todos os lugares.

Em geral, o sangue é usado em duas situações muito específicas. A primeira é na realização de certos procedimentos específicos, como cirurgias. A segunda, em tratamentos de hemoterapia, nos quais os pacientes precisam de doses regulares de sangue, por qualquer razão que seja.

Esses procedimentos podem ser emergenciais ou planejados com antecedência. No primeiro caso, é vital ter um estoque pronto para ser usado, enquanto no segundo há mais tempo para se preparar para garantir que tudo dará certo.

Em ambos os casos, um hospital ou clínica pode necessitar de hemocomponentes para utilização emergencial ou planejada. Nesses momentos, é comum pensar se não seria mais produtivo ter um banco de sangue interno para lidar com essas atividades.

A resposta depende muito da frequência com a qual seu hospital ou clínica realiza tratamentos ou procedimentos que requerem o uso de hemocomponentes. Se isso acontece com bastante frequência, então vale a pena sim ter um banco do tipo.

Por exemplo, se o seu hospital é a opção principal para receber pacientes de emergência, como aqueles que foram baleados ou feridos e estão perdendo sangue, de uma região com grande densidade habitacional, então vale a pena ser prevenido e ter sempre um estoque de sangue interno para lidar com casos do tipo.

Ao mesmo tempo, se você oferece serviços de hemoterapia, também vale a pena ter esse banco de sangue para reduzir custos, agilizar os procedimentos e ter maior previsibilidade em relação ao uso dos hemocomponentes.

Já se o seu hospital recebe pacientes em necessidade desses recursos apenas ocasionalmente, não vale a pena encarar os custos de montar e administrar um banco de sangue próprio.

O mais recomendado, nesse caso, é contribuir com o banco de sangue público local, ajudar na organização de campanhas de doações e coleta. Isso traz mais benefícios no âmbito geral e menos custos para o seu negócio.

Como montar um banco de sangue?

Se você chegou a conclusão de que montar um banco de sangue é a melhor alternativa para o seu hospital, então precisará se preparar para esse processo.

O primeiro passo para isso é lidar com a parte burocrática do assunto. Na prática, você precisará de autorização para abrir um banco de sangue, adicionar o CNAE dessa atividade na sua empresa e tirar todos os alvarás das instituições competentes (Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e outros).

Para isso, terá que ter um espaço adequado, com estrutura básica que funcione para um banco de dados. Isso inclui todo o equipamento para manter o material coletado em segurança durante o máximo de tempo possível.

Além disso, precisará contratar uma equipe e treiná-la para lidar com as doações, além de estabelecer vínculos de comunicação com outros hospitais, clínicas e espaços de saúde para ajudar a abastecê-los com sangue excedente.

Agora que você já viu como decidir se essa é a melhor ação para o seu hospital e como montar um banco de sangue nele, o próximo passo é começar a planejar esse investimento. Comece levantando os fundos para essa ação, depois verifique os requisitos legais das autoridades responsáveis e monte a estrutura necessária para isso. A maioria dos bancos de sangue usa o estoque para consumo interno, mas dependendo do seu sucesso, pode ser possível até ajudar outros hospitais com doações.

Quem pode ajudar nisso é o RealBlood, nosso software de gestão de bancos de sangue e hemocentros. O programa conta com todos os módulos e funções necessárias para garantir a melhor gestão possível de um banco de sangue, desde o controle do estoque até o processamento das doações feitas. Clique aqui para aprender mais sobre ele!

Rua Sete de Setembro, 01 - 2º Andar - Kobrasol, São José/SC
CEP. 88.102-030

Produtos

Contato

Contato

comercial@tdsa.com.br

Capitais e regiões metropolitanas

4000-1691

Demais localidades

(48) 3241-6991
(48) 3771-0100

ATENDIMENTO
4000-1691
WHATSAPP
(48) 99641-5711
E-MAIL
comercial@tdsa.com.br
CENTRAL DE VENDAS