Central de Vendas 0800 608 0170 comercial@tdsa.com.br
Chamar no WhatsApp

Saber controlar e otimizar seus gastos pode aumentar o rendimento financeiro do seu negócio.

 

Todo dinheiro que sai da sua clínica para algum lugar é um gasto. E eles são essenciais para o funcionamento do negócio. Mas será que todos gastos que sua clínica tem são essenciais?

 

Aqueles custos que você não sabe por que tem (ou nem sabe que tem) que não geram nenhum retorno, custos que fazem parte da sua operação, mas não aumentam em nada a produtividade ou a qualidade do serviço entregue. Muitas vezes há até um excesso de verba investida em uma determinada atividade que poderia muito bem ser desempenhada com menos recursos.

 

Os gastos de uma maneira geral diminuem seu lucro, mas são essenciais, se você ainda tiver gastos que são desnecessários menor ainda será o seu faturamento no fim do mês. Gastos excessivos são normalmente ligados a rotinas operacionais burocráticas e lentas que acabam criando uma bolha em volta de atividades simples e não permitem o gestor perceber que ali há um gargalo financeiro.

 

Identificar e reduzir gastos supérfluos não é uma tarefa fácil. Exige uma base muito bem estruturada de informações para que no momento do corte a produtividade e principalmente a qualidade do serviço entregue não sejam atingidas.

 

CONTAS A PAGAR E RECEBER: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER

Saber como gerenciar seus custos é uma forma de potencializar seu crescimento o que pode ser um grande diferencial para o seu negócio…

 
Como resolver gastos desnecessários

 
Identificar os gastos: Para começar é necessário fazer a identificação dos gastos que a clínica possui, nesse momento já ter um controle das contas a pagar e receber vai te ajudar muito, mas caso você não tenha aqui tem um artigo que pode te ajudar.

 

Organizar e classificar os gastos por prioridade: Acompanhe sua equipe e ouça quais recursos eles veem como fundamentais para desempenho das suas tarefas e quais eles julgam substituíveis ou desnecessários.

 

Análise: A partir da identificação dos gastos faça uma classificação de prioridades. Veja o que pode interferir no desempenho operacional, o que não está alinhado ao objetivo da clínica mas tem ocupado um espaço nas finanças da clínica e o que realmente está sobrando e não possui nenhuma utilidade para a continuidade do negócio.

 

Otimize: Depois de ter os gastos classificados por prioridade na clínica, o próximo passo é fazer uma análise individual para saber o que pode ser removido de cada parte. Cortar os custos de forma aleatória ou intuitiva é algo que você deve evitar para não comprometer a continuidade do negócio.

 

Acompanhe: Padronizar o processo das tarefas é uma boa forma de otimizar investimentos, um processo bem estabelecido tende a tornar quem o executa especialista naquilo e assim evitando erros corriqueiros e o retrabalho da operação que pode exigir além de tempo também recursos.

 

Ter um objetivo traçado para suas ações de corte e otimização de custos ajudará na hora de visualizar e classificar o que realmente é necessário ou supérfluo para a entrega do serviço.

 

O acompanhamento e a organização garantirão o sucesso das suas ações. Com certeza não será possível que uma pessoa sozinha consiga reduzir as despesas excedentes de todos setores, por isso é importante contar com seus colaboradores para que essa ação tenha o melhor resultado possível.

 

Após efetuar os cortes faça revisões constantes para ver se surtiu o efeito esperado e certificar de que as consequências foram positivas.

 

A redução dos gastos melhora a lucratividade do negócio, pode parecer pouco a diferença, mas com o desenvolvimento dessa atividade de rentabilização em cada ponto da clínica o lucro só tem a aumentar e as despesas a diminuir.